fbpx

Vitamina C — Ácido Ascórbico

Vitamina C — Ácido Ascórbico
Vitamina C — Ácido Ascórbico
User Rating: 5 (2 votes)

A vitamina C — ou Ácido Ascórbico — é um potente antioxidante e atua na reparação de tecidos danificados, eventualmente como agente antienvelhecimento. É necessária para a produção de colágeno, substância do tipo “cimento” intercelular que dá estrutura aos músculos, tecidos vasculares, ossos e cartilagens. A vitamina C também contribui para a saúde dos dentes e gengivas e auxilia na absorção do ferro a partir da dieta. É também necessária para a síntese dos ácidos biliares. A investigação também mostrou o papel da vitamina C em:

  • Síntese de vários hormônios e neuro-transmissores importantes;
  • Metabolismo do ácido fólico;
  • Função imunológica;
  • Função redox/anti-oxidante;
  • Nas reações metabólicas de certos amino-ácidos, em particular na prevenção da formação de nitrosaminas potencialmente carcinogênicas no estômago (devido ao consumo de alimentos contendo nitrito, tais como a carne defumada ou os pickles).

Principais fontes de vitamina C na natureza

Você sabe em que alimentos tem vitamina C?

agrião, salsa, bertalha, couve, rúcula, brócolis, pimentão, tomate, abacaxi, acerola, cajú, limão, laranja, tangerina, manga, goiaba, morango, kiwi, pitaya, papaia.

A vitamina C é encontrada em maior quantidade nestes alimentos.

As frutas devem ser consumidas cruas e frescas. Recomenda-se cortar os legumes o menos possível. Aparentemente, perde-se menos a atividade vitamínica quando as frutas são refrigeradas. O armazenamento sob temperatura controlada, minimiza as perdas de vitaminas C. Em alimentos esterilizados, inteiramente preservados ou bem congelados, as perdas podem ser enormes.

karina-ferrari-terapia-saude-integrada-alimentacao-vitamina-c-2

Suplementos de Vitamina C

A vitamina C está disponível em comprimidos convencionais, efervescentes e mastigáveis, comprimidos de libertação temporizada, xaropes, pós, granulados, cápsulas, gotas e ampolas, tanto isoladamente como em preparações de polivitaminicos e minerais.
 

Conservação da Vitamina C

A vitamina C é sensível ao calor, luz e oxigênio. Nos alimentos, pode ser parcialmente ou completamente destruída por um armazenamento longo ou pela sobrecozedura.

karina-ferrari-terapia-saude-integrada-alimentacao-vitamina-c-comprimidos

 

Principais antagonistas da Vitamina C

Várias substâncias químicas às quais o homem está exposto, tais como a poluição aérea, as toxinas industriais, os metais pesados e o fumo do tabaco, bem como vários componentes farmacológicos ativos, entre os quais alguns anti-depressivos e diuréticos, podem levar a um aumento das necessidades de vitamina C. Isto é também verdade para certos hábitos como, por exemplo, o consumo de álcool.

 
karina-ferrari-terapia-saude-integrada-alimentacao-vitamina-c-ligacao-quimica

 

Principais sinergistas da Vitamina C

A presença de outros anti-oxidantes, tais como a vitamina E e o b-caroteno, apoia a ação protetora anti-oxidante da vitamina C. Outras vitaminas, tais como as do complexo B (particularmente a B6, B12, ácido fólico e ácido pantotênico) e algumas substâncias farmacológicas ativas, bem como os compostos que ocorrem na natureza, conhecidos como bioflavonóides, podem ter um efeito de poupança da vitamina C.

karina-ferrari-terapia-saude-integrada-alimentacao-vitamina-c-ligacao-3d

 

Deficiência marginal de Vitamina C

Os primeiros sintomas da deficiência inicial de vitamina C são a fadiga, a lassidão, a perda de apetite, a sonolência e insonia, o sentimento de exaustão, irritabilidade, baixa resistência às infecções e petéquia (pequeno sangramento capilar). Estes sintomas podem, no entanto, indicar outras doenças.

Entre os grupos de pessoas em risco de fornecer ao corpo quantidades insuficientes de vitamina C de forma a manter um nível ótimo no sangue estão os fumantes, os alcoólatra, os idosos e os pacientes sujeitos a certos medicamentos. A necessidade de vitamina C para os fumantes nos EUA é superior em 40 mg à dos não fumantes.

 

Deficiência grave de Vitamina C

A deprivação de vitamina C durante um período suficiente de tempo leva ao escorbuto, o qual se caracteriza pelo enfraquecimento das estruturas de colágeno (tecido de ligação das células), resultando em sangramento capilar. O escorbuto infantil causa malformações ósseas. O sangramento das gengivas e a queda dos dentes são normalmente os primeiros sinais da deficiência clínica. As hemorragias sob a pele causam sensibilidade extrema das extremidades e dores durante o movimento. Se deixada sem tratamento pode seguir-se a gangrena e a morte. Hoje em dia, o escorbuto ocorre com relativa raridade. Para evitar o escorbuto, é considerada suficiente a ingestão diária de 10-15 mg de vitamina C, mas para um funcionamento fisiológico ótimo são necessárias quantidades muito superiores.

 

Dose Diária Recomendada (DDR) de Vitamina C

A ingestão recomendada é um ponto de muita discussão e controvérsia, podendo variar de acordo com a idade, sexo e com os critérios aplicados nos países individuais.

Segundo o Conselho Nacional de Investigação, a ingestão diária recomendada de vitamina C para os adultos é atualmente de 60 mg, mas esta recomendação varia desde 30 mg no Reino Unido a 100 mg na antiga União Soviética.

Os médicos recomendam que as mulheres grávidas aumentem a sua ingestão de vitamina C em cerca de 30% e durante a lactação é aconselhado um aumento de até 60-70% de forma a garantir as necessidades da mãe, dado que um litro de leite materno contém cerca de 50 mg de vitamina C. Durante um período pós-operatório ou durante a cura de feridas superficiais, os suplementos de vitamina C contribuem para a prevenção de infecções e promove a reparação da pele.

Alguns estudos dizem que a ingestão de vitamina C em quantidades superiores a 1g/dia pode aumentar a excreção urinária de oxalato acelerando a formação de cálculos renais nos indivíduos suscétiveis. Nos indivíduos com deficiência de ferro, as megadoses de vitamina C podem destruir quantidades significativas de vitamina B12. Em pessoas sadias, o uso frequente de suplementos de vitamina C podem causar irritação ao intestino e diarréia. A ingestão exagerada de vitamina C pode causar, em certas pessoas, aumento do metabolismo do cálcio e do fosfato, o que pode ajudar ou prejudicar na formação dos ossos.

Outros estudos apelam para o fato de que não existem evidências de efeitos colaterais em casos de ingestões regulares por várias pessoas de quantidades tão altas quanto 6-10g de vitamina C por dia (mais de 100 vezes a DDR), sendo que a suplementação prolongada com doses elevadas pode ter um certo efeito laxativo.

Na dúvida, acredito que os excessos sempre possam ser prejudiciais.

 
Quais são seus alimentos favoritos que contém vitamina C? Você acha que sua dieta inclui bastante desta vitamina ou precisa ser melhorada?

Compartilhe sua Opinião ou Tire suas dúvidas!
Karina Ferrari é Psicanalista, Terapeuta Holística e Coach, atuando em seus atendimentos com a Terapia Psicanalítica, o Reiki, a Terapia Floral de Bach, o Balanceamento Muscular (Cinesiologia) e Coaching. Instrutora e Pesquisadora dos Florais de Bach, com formação Internacional em Florais de Bach pelo Instituto Bach. Realiza atendimento em consultório particular e empresas, ministra cursos e palestras sobre Reiki e sobre os Florais de Bach, ministra palestras voltadas ao desenvolvimento pessoal e profissional e é facilitadora de grupos de estudos no Instituto Religere. Agende uma consulta agora mesmo entrando emcontato comigo, por telefone ou e-mail.

Leave a Reply