Id – O instinto de prazer

Id – O instinto de prazer
Id – O instinto de prazer
User Rating: 4.7 (4 votes)

O id, segundo Freud, corresponde aos instintos primitivos que impulsionam o ego, emocionalmente, para a busca do equilíbrio psíquico perdido perante algo ameaçador ou desagradável (perda momentânea do prazer).
Congrega dois grandes impulsos de onde se derivam todos os outros: os impulsos construtivos (Eros) e os impulsos destrutivos, agressivos (Tanatos), que travam permanente batalha.

 
O id é a estrutura da personalidade que impulsiona o ego a agir para obter prazer, para que ele resolva seus conflitos, eliminando suas desarmonias, e assim, recuperar a homeostase perdida (equilíbrio psíquico), colocando o organismo e o aparelho psíquico em um nível mínimo de excitação.

 
O amor é considerado o instinto de vida, da construção;
A ira é o instinto do movimento, da morte, da destruição.
Do controle e do direcionamento destas duas energias é que se fará a evolução do indivíduo.

 

karina-ferrari-terapia-psicoterapia-psicanalise-id-ego-superego-mente-consciente-inconsciente
karina-ferrari-terapia-psicoterapia-psicanalise-id-ego-superego-conflito-psiquicoO id é controlado no nível consciente, pelo ego, que o chama à realidade dos padrões que regem as relações humanas dos valores, das restrições, etc.
Entretanto como impulso instintivo, não gosta de ser contrariado em suas pretensões de prazer. Isso gera uma série de desequilíbrios emocionais no ego, estimulando a agressividade, sugerindo-lhe comportamentos inadequados e irresponsáveis, à luz dos padrões morais. Em contrapartida, cabe ao ego ser responsável e preocupado com os seus atos, administrando as influências emocionais do id, sempre segundo os padrões morais.

Nietzsche o designa assim: o id é o que há de não pessoal, de ilógico e, por assim dizer, de necessário, para nos impulsionar a agir e resolver nossos problemas.

 
O próprio Freud afirmou que o id é um caos. Ele se enche de uma energia proveniente das funções orgânicas, mas não tem organização específica. Sua função é somente arrastar, energeticamente, em direção ao ego, tudo que está no inconsciente, para que seja resolvido pelo consciente (pelo ego).

 

Compartilhe sua Opinião ou Tire suas dúvidas!
Karina Ferrari é Psicanalista, Terapeuta Holística e Coach, atuando em seus atendimentos com a Terapia Psicanalítica, o Reiki, a Terapia Floral de Bach, o Balanceamento Muscular (Cinesiologia) e Coaching. Instrutora e Pesquisadora dos Florais de Bach, com formação Internacional em Florais de Bach pelo Instituto Bach.Realiza atendimento em consultório particular e empresas, ministra cursos e palestras sobre Reiki e sobre os Florais de Bach, ministra palestras voltadas ao desenvolvimento pessoal e profissional e é facilitadora de grupos de estudos no Instituto Religere.Agende uma consulta agora mesmo entrando emcontato comigo, por telefone ou e-mail.

Leave a Reply